14 de abr de 2010

Confuso sobre o iPad? UOL Tecnologia desvenda o tablet da Apple em 25 respostas

Se você passou as últimas semanas em um retiro espiritual e nunca ouviu falar dele, leia a reportagem abaixo. E se cansou de ler dezenas de artigos na internet falando dele, também.
O iPad, novo dispositivo tablet da Apple, virou o assunto mais comentado por fãs de tecnologia e sites especializados. Em meio a tanta informação, para ajudá-lo a entender o que é o tablet , como ele funciona e quais são as suas principais limitações, o UOL Tecnologiareuniu uma lista com as principais dúvidas sobre o iPad.
E se mesmo depois desse guia você continuar "encafifado", envie sua dúvida para nosso fórum.
 1) Para que serve um iPad?
Um computador tablet como o iPad segue três características principais: é leve, simples de usar e tem uma tela grande sensível a toques. O produto foi definido por Steve Jobs, CEO da Apple, como “realmente mágico” e inaugurou uma terceira geração de dispositivos pessoais, numa categoria entre o laptop e o smartphone.
Ele é indicado para quem quer consumir conteúdo: navegar na web, ver e-mails, assistir a vídeos online e filmes, ouvir músicas, jogar, etc.
Mas uma coisa de cada vez: o iPad não é multitarefa, ou seja, não é possível abrir programas de terceiros ao mesmo tempo no dispositivo (apenas aplicativos nativos do próprio dispositivo funcionam ao mesmo tempo).
Se você está em dúvida sobre comprar um iPad, netbook ou um notebook, veja a resposta dada peloUOL Tecnologia à pergunta 'O que é que o iPad tem que meu computador não tem?" enviada por um internauta.
 2) Como ele funciona?
O iPad utiliza um processador desenvolvido pela própria fabricante, o Apple A4, com 1GHz. Ele garante um gasto pequeno de bateria aliado ao desempenho veloz para os aplicativos. Ben Patterson, crítico de tecnologia, que listou dez revelações surpreendentes sobre o iPad, revelou que “ele voa”, de tão rápido para abrir e usar os aplicativos.
Outro destaque é a tela multitoque, com 9,7 polegadas (diagonal), retroiluminada por LEDs. Você pode utilizá-la tanto na horizontal como na vertical. Ela apresenta conteúdo em cores na resolução 1024 por 768 pixels.
A combinação do Apple A4 com a tela multitouch tranforma o tablet num dispositivo de uso intuitivo. O usuário acaba se adaptando ao modo de operar o iPad, mesmo que nunca tenha usado de produtos da Apple ou seja um usuário leigo em tecnologia.
 3) Quanto custa?
O preço varia de acordo com o tamanho do espaço de armazenamento e conectividade. O modelo Wi-Fi, disponível para compra apenas nos EUA, custa US$ 499 (com espaço de armazenamento de 16GB), US$ 599 (32GB) e US$ 699 (64GB).
O modelo Wi-Fi e 3G, que estará disponível para compra no final de abril nos EUA, custa US$629 (16GB), US$729 (32GB) e US$829 (64GB), ou seja, US$ 130 a mais.
Os preços no Brasil ainda não foram definidos, bem como a data de lançamento do dispositivo no país.
 4) Como faço para comprar um?
Se você mora no Brasil e não vai viajar para os EUA tão cedo, terá de esperar pelo lançamento oficial da Apple. Há rumores de que ele acontecerá em junho. Alguns sites de leilão e pessoas com viagem marcada para os EUA já “oferecem” o iPad, como mostrou reportagem do UOL Tecnologia, mas a opção é arriscada, pois depende da sua confiança num vendedor desconhecido na internet, e também cara: o tablet não-oficial custa até o triplo do preço.
  • Divulgação
 5) Quais são os aplicativos básicos do tablet?
Estão disponíveis alguns programas nativos, como o Safari (navegador web), o Mail (gerenciador de e-mails), YouTube (versão sem uso de Flash), Calendário, Mapas, Notas, iPod (músicas), Vídeos, Fotos, Contatos, etc.
 6) Todos os aplicativos do iPhone servem no iPad?
Funcionam, mas aparecem bem pequenos no centro da tela do tablet, do tamanho da tela do iPhone. Ou seja, apesar da App Store ter mais de 200 mil aplicativos para o celular, o melhor é esperar que os desenvolvedores adaptem os produtos para melhor visualização no iPad.
Específicos para iPad, já são cerca de 3 mil aplicativos. Para usuários no Brasil, entretanto, a conta brasileira na AppStore ainda não está funcionando no tablet. Até o momento, apenas contas americanas conseguem acessar o serviço pelo iPad.
 7) O iPad tem porta USB?
Não. Mas como o iPhone e o iPod touch, o tablet terá um cabo com conector e porta USB para uso em Mac e PC.
 8) Se ele não tem porta USB, como funciona a transferência de dados para o portátil?
Com o cabo para porta USB, ao usar o iTunes no PC ou Mac, você poderá sincronizar suas músicas, vídeos, fotos, contatos, aplicativos, etc. e, dessa forma, transferir o arquivo do computador para o iPad e vice-versa.
A última versão do iTunes traz ainda uma função para transferir arquivos como documentos Microsoft Office. Mas ele funciona apenas se você tiver instalado no seu iPad programas que poderão editar esses documentos. Os arquivos podem ser transferidos na outra direção, também.
Também é possível transferir documentos pela internet, quando você recebe arquivos anexados por e-mail ou faz o download pela web por meio de um site.
 9) Quais as diferenças entre os modelos Wi-Fi e 3G?
O modelo com 3G custa US$ 130 a mais e também é mais pesado (730g contra 680g do Wi-Fi), com uma antena preta que cobre parte do topo e se estende até a parte de trás do iPad. A vantagem do modelo com 3G é a função de GPS inclusa. A tecnologia 3G permite o acesso móvel à internet em alta velocidade em longas distâncias. O usuário dessa alternativa precisa estar dentro da cobertura da operadora de telefonia móvel, mas não próximo a um aparelho (caso de um roteador). Já com a tecnologia Wi-Fi, também de acesso móvel de alta velocidade, o usuário tem restrições quanto ao alcance do sinal. A conexão Wi-Fi pode ser fornecida em um hotspot (ponto de acesso público) – como em cybercafés, hotéis, aeroportos gratuitamente – ou por uma rede local privada, caso de uma residência com roteador, por exemplo.
 10) Vou ter de pagar pelo acesso via 3G?
Sim. Nos EUA, a Apple fechou um acordo com a AT&T e criou pacotes de dados: para 250MB, o usuário paga US$ 15 por mês ou para o plano ilimitado, US$ 30. O diferencial neste acordo é que são planos pré-pagos, você pode ativá-lo ou desativá-lo conforme a sua necessidade.
No Brasil, ainda não foram definidas as operadoras que comercializarão os planos 3G.
  • Divulgação
 11) Vou poder ver vídeo e animações em Flash?
Não, animações e vídeos em Flash não funcionam no iPad (e também no iPhone). A briga entre Apple e Adobe, desenvolvedora da tecnologia, é antiga. A explicação dada pela Apple é que o Flash consome muitos recursos e até mesmo travam os dispositivos. Para a Adobe, essa é uma manobra que permite à Apple um certo monopólio dos aplicativos desenvolvidos para seus gadgets.
Por hora, o iPad é capaz de reproduzir conteúdo em HMTL5, CSS3 e JavaScript. Quando o usuário navegar em um site com conteúdo em Flash, verá um espaço em branco no lugar do vídeo ou animação.
 12) Então eu não vou conseguir ver vídeos no YouTube e sites similares?
No caso do YouTube, que usa Flash na reprodução dos vídeos, há um aplicativo nativo para iPad que resolve em parte o problema. A questão é que nem todos os vídeos da versão “normal” do Youtube estão na versão “iPad”. Outros sites similares, que dependem do suporte a vídeos em Flash, como o UOL Mais, não serão visualizados corretamente.
 13) Vou poder jogar diretamente em sites?
No caso dos jogos sociais, como os do Facebook e Orkut, usuários também sentirão a falta que o Flash faz. A maioria dos games foi desenvolvida com a tecnologia da Adobe. O jeito é se contentar com os games da loja de aplicativos da Apple.
 14) Dá pra ver filmes confortavelmente?
Depende. Para vídeos curtos, você pode segurar o iPad com as mãos. Mas e no caso de um filme inteiro? Você terá de procurar uma forma de apoiá-lo (uma opção é comprar um dock/base) e um lugar para deixá-lo (Em cima da mesa? da sua cama?). Ainda, outra questão que tem incomodado os usuários é o brilho excessivo da tela. Em cenas mais escuras, o que você verá é o seu próprio reflexo no iPad. Algumas empresas já vendem um filme antirreflexo que pode ser aplicado na tela. Mas ele não prejudica os toques na tela? Talvez seja melhor ver o filme na TV ou no notebook.
  • Divulgação
 15) Dá para digitar confortavelmente no teclado virtual?
O teclado virtual é prático para quem precisa digitar textos curtos e o corretor automático, o mesmo do iPhone, ajuda nos textos em inglês. Se você deseja maior conforto na digitação, principalmente para textos mais longos, a própria Apple vende um dock com teclado para o iPad (US$ 69). O tablet também é compatível com teclados Bluetooth – e não precisa ser o da Apple.
 16) O tablet serve como e-reader?
Sim. É possível fazer o download do aplicativo iBooks na AppStore, gratuitamente. Ele servirá tanto para você ler os livros (com um efeito visual de folhear páginas que impressiona) como para comprar os livros para sua “estante virtual”. Com a tela colorida, o iPad sai na frente de concorrentes como o Kindle, mas ao mesmo tempo perde pelo excesso de brilho que cria reflexos e atrapalha a leitura em ambientes externos ou com muita iluminação.
Grande parte dos livros disponíveis custa em média US$ 15. Há opções mais baratas e até de graça. No total, são 60 mil títulos disponíveis (contra os quase 390 mil já existentes para o Kindle, mais um ponto positivo para o e-reader da Amazon). Um detalhe: não é possível comprar livros para o iBooks pelo iTunes, só pelo próprio aplicativo e-reader.
 17) Por que o iPad não é multitarefa?
O sistema do iPad é uma variação do sistema operacional do iPhone. Ele é capaz de rodar mais de um programa ao mesmo tempo, mas em casos limitados (como ouvir música e navegar na web ao mesmo tempo), ou seja, em aplicativos nativos da Apple. Se quiser abrir mais de um aplicativo simultaneamente que baixou da App Store, não será possível.
 18) A partir de quando o tablet vai ser multitarefa?
Recentemente a Apple lançou a versão iPhone OS 4.0 para iPhone e iPod touch, que permite operações multitarefa. Mas a novidade só chega aos dispositivos mencionados em julho. Para o iPad, pode chegar no final do terceiro trimestre deste ano, mas ainda não há confirmação.
  • Divulgação
 19) Ele tem um receptor GPS embutido?
Apenas a versão com 3G do tablet possui GPS. A tecnologia utilizada é a A-GPS (Assisted GPS), que combina o sinal GPS do tablet com outros próximos ao dispositivo, como os emitidos por triangulação em torres de celular e redes Wi-Fi. O modelo apenas com Wi-Fi também pode gerar a informação de localização do usuário, baseado em locais conhecidos onde as redes estão instaladas.
 20) Ele vem com fones de ouvido?
Não, você terá de comprá-los separadamente. A Apple vende duas versões, com e sem microfone (US$ 79 e US$ 29, respectivamente).
 21) Os acessórios do meu iPhone vão funcionar com o tablet?
Acessórios como fones de ouvido e carregador para tomada funcionam com o iPad (mas vale lembrar que o tablet tem seu próprio carregador).
 22) A qualidade do som pelo alto-falante interno é boa?
Até o momento, não houve críticas quanto à qualidade do som. Mas usuários mais exigentes poderão comprar alto-falantes externos para incrementar o tablet.
 23) Posso rodar programas para Windows ou Mac no dispositivo?
Não, a menos que os desenvolvedores desses programas façam versões específicas para o iPad. Isso porque o iPad não roda os sistemas operacionais Windows ou Macintosh, então programas feitos para esses sistemas não vão funcionar corretamente. O sistema operacional do iPad é o mesmo do iPhone e é compatível com mais de 150 mil aplicativos especialmente desnvolvidos para esse sistema.
 24) É possível imprimir documentos pelo tablet?
Não, a Apple ainda não criou uma maneira de integrar impressoras ao tablet. É possível, no entanto, criar arquivos com o iWork e exportá-los para a área de Arquivos Compartilhados via iTunes ou por e-mail. Em seguida, você deverá abrir o arquivo em um PC ou Mac e imprimi-lo de lá. Poderão surgir alguns aplicativos que ajudem na impressão direta do iPad.
 25) É possível enviar e-mails em rich-text (texto com formatação) pelo dispositivo?
Não, o iPad envia e-mails apenas em plain text (texto sem formatação). Rich text é um formato de arquivo de documento desenvolvido e de propriedade da Microsoft desde 1987 para intercâmbio de documentos entre diversas plataformas, enquanto o plain text é apenas um sequência comum de material textual que não requer processamento.
Share:

0 comentários:

Postar um comentário

.

Vídeos

Loading...

DICA EMPRESARIAL