25 de nov de 2010

Antigo prédio da Câmara de Vereadores de Florianópolis deve virar moderno museu

O Palácio Dias Velho, em Florianópolis, vai se transformar no Museu Histórico. O projeto prevê um espaço com tecnologia de ponta, salas interativas equipadas com sistema 3D e imagens holográficas de personagens históricos catarinenses.

O antigo prédio da Câmara Municipal de Vereadores, na Praça XV de Novembro, no Centro, passa por um novo projeto de restauração. Serão três etapas.

A primeira, praticamente concluída, foi a limpeza arqueológica, com a remoção de entulhos existentes no local. De acordo com a gerente do Serviço do Patrimônio Histórico, Artístico e Natural (Sephan), Maria Anilta Nunes, o piso rebaixado chamou a atenção dos arqueólogos, que suspeitam da existência de celas antigas no subterrâneo.

— Foram descobertos antigos alicerces e artefatos de louça e ferro, além de peças de vidro e até cédulas de dinheiro antigo — destaca Maria Anilta.

A próxima fase, que será iniciada em dezembro, é a prospecção arqueológica de superfície, em que estruturas soterradas em até quatro metros de profundidade poderão ser descobertas. Os resultados obtidos vão orientar a terceira parte do projeto: a escavação do edifício.

Com os resultado das etapas anteriores, junto com a pesquisa histórica e eventuais problemas de arquitetura do palácio, será planejado um projeto de restauração, com custo estimado em até R$ 8 milhões. Depois disso, o próximo passo é a busca pela captação de recursos necessários para viabilizar a restauração e, posteriormente, a criação do museu.

Segundo Maria Madalena do Amaral, arqueóloga que coordenou a primeira etapa do projeto, o objetivo é mostrar a transformação pela qual passou o prédio até hoje.

— Nós dividimos a área em unidades quadriculadas de aproximadamente um metro quadrado para perceber os artefatos utilizados, as estruturas e os assoalhos. Queremos detectar o que exatamente se passava em cada parte da casa, qual era a função de cada cômodo, e contar essa história no futuro museu — explica.

Para Átila Rocha, superintendente do Instituto de Planejamento Urbano (Ipuf), a restauração é peça fundamental no contexto político-social da cidade.

— Um museu de alta tecnologia vai incentivar e provocar o interesse da população de Florianópolis a interagir com informações históricas.

Em julho, a restauração do edifício esteve envolvida na polêmica relacionada à ONG DiverSCidades, entidade que firmou termo de parceria de R$ 25 milhões com a prefeitura de Florianópolis. O convênio foi cancelado quando se verificou que a arquiteta Cristina Maria Piazza, ex-diretora de Planejamento do Ipuf, era também presidente da ONG. O Ministério Público ainda investiga o caso.

— Essa história já passou. O contrato foi cancelado e não tem nada a ver com o trabalho que estamos fazendo agora — conta Átila.

Para relembrar
A antiga Casa de Câmara e Cadeia, construída entre os anos 1771 e 1780, é uma das três construções mais antigas do Centro Histórico de Florianópolis, ao lado da Catedral Metropolitana e do Palácio Cruz e Sousa. O primeiro lugar ocupado pela Câmara e Cadeia da Vila de Nossa Senhora do Desterro era composto de cinco pequenas casas que existiam no mesmo terreno onde, posteriormente, seria construída a nova edificação.

Inaugurado em 29 de dezembro de 1780, o novo prédio foi feito para abrigar a cadeia e a Câmara, local onde tomaram posse muitos presidentes de província na época do Reinado.

O Imperador Dom Pedro II chegou a visitar o prédio e mostrou total desaprovação com as precárias condições da cadeia, que funcionava no térreo. Sujeira, epidemias e até doentes terminais habitavam o local. Enquanto isso, no andar superior, decisões políticas eram tomadas.

Apenas no início do século 20 a cadeia foi transferida para outro local e o prédio foi reformado. As feições arquitetônicas aos moldes da tipologia colonial luso-brasileira foram substituídas pela atual configuração, onde não se observam evidências físicas da presença da cadeia.

Em 2007, audiências públicas resultaram na proposta de implantação do Museu Histórico da Cidade.

Share:

0 comentários:

Postar um comentário

.

Vídeos

Loading...

DICA EMPRESARIAL