16 de set de 2010

Ilha do Campeche





As surpresas guardadas pelo lugar começam com a chegada dos visitantes a ilha: a mais pura natureza e vegetação típica da mata atlântica dominam a paisagem. Além disso, não há por lá fonte de energia elétrica, a iluminação fica toda a cargo de placas de energia solar.
Com diversas trilhas em meio à Mata Atlântica, a Ilha do Campeche abriga uma representativa parcela do patrimônio arqueológico do Estado de Santa Catarina, dividida em 10 sítios arqueológicos, 9 estações líticas, monumentos rochosos e sambaquis.
A ilha é administrada pela Associação Couto de Magalhães de Preservação da Ilha do Campeche.
O ponto de saída dos barcos para a Ilha do Campeche, é a partir da praia da Armação, o passeio dura aproximadamente meia hora.

História:

Ilha do Campeche

Localizada a sudeste de Florianópolis, em frente à Praia do Campeche, a ilha possui um rico ecossistema e abriga representativa parcela do patrimônio arqueológico do Estado de Santa Catarina. Formada por costões e morros recobertos de Mata Atlântica, possui uma única praia com areia fina e extremamente clara. O mar, que tem coloração variando entre verde e turquesa, possui poucas ondas, agradando a mergulhadores e crianças.
Desde fevereiro de 1940, a Ilha do Campeche está sob os cuidados da Associação Couto de Magalhães, uma entidade que atualmente trabalha pela preservação do lugar.


Sítios Arqueológicos

Com mais de 100 petróglifos distribuídos em 10 sítios arqueológicos, nove estações líticas, monumentos rochosos e sambaquis, a Ilha do Campeche foi tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional - Iphan como Patrimônio Histórico e Ecológico da Nação.
Segundo estudiosos, o local possui sozinho mais inscrições rupestres que a Ilha de Santa Catarina, a Ilha do Arvoredo e a Ilha das Aranhas, todas juntas. Entre os sinais deixados pelos povos antigos estão símblos geométricos, flechas, zoomorfos e antropomorfos e as máscaras, também encontradas nos costões da praia do Santinho.
As oficinas líticas mostram amoladores em granito e diabásio. Os povos antigos também deixaram um monolito com nove metros de altura e um ponto magnético sinalizado com inscrição rupestre onde as bússolas têm comportamento alterado.


Vegetação Nativa

A mata atlântica abundante na Ilha começou a ser depredada já com os primeiros colonizadores. O principal foco era o pau-campeche, que dá nome ao local e que, a exemplo do pau-brasil, era largamente usado para tingir tecidos.
Além do extrativismo, a vegetação deu lugar a plantações de mandioca que alimentavam os pescadores estabelecidos na Ilha.
Com o tombamento da Ilha, tanto a depredação por extração quanto o cultivo de plantas exóticas deram novamente espaço à mata original, que hoje ocupa uma área de 52 hectares.


Trilhas Monitoradas

É expressamente proibido fazer trilhas sem os guias. Também é proibido acampar, fazer fogueiras e levar ou pegar animais e plantas.
Para que a preservação seja efetiva, são permitidos no máximo 400 visitantes por dia no local.

Conheça algumas trilhas da Ilha:

Caverna dos Morcegos
Letreiro
Pedra do Vigia
Pedra do Ímã
Pedra Fincada
Volta Norte


Quase toda a matéria foi capturada do site da Associação Couto de Magalhães.
O vídeo foi encontrado no youtube no perfil de samirafloripa

Publicado por InformeFVR
Share:

0 comentários:

Postar um comentário

.

Vídeos

Loading...

DICA EMPRESARIAL