17 de out de 2010

Marina e PV optam por independência no segundo turno das eleições presidenciais

Decisão foi tomada pelo partido em plenária realizada em São Paulo

Atualizada às 16h27min
Em votação nesta tarde, em São Paulo, o Partido Verde (PV) decidiu pela neutralidade no segundo turno das eleições presidenciais. O apoio da legenda era pretendido por Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB), porém, a maioria dos 160 membros com direito a voto do partido optou pela independência no pleito.

Pouco antes da votação, a senadora leu uma carta aberta que será encaminhada aos candidatos José Serra e Dilma Rousseff. Em seu discurso, Marina criticou o velho pragmatismo que dominou a disputa política entre PT e PSDB. Na carta, chamou os dois partidos de fiadores "do conservadorismo".

– Como repeti inúmeras vezes no primeiro turno, o voto não era meu, nem de Dilma, nem de Serra, o voto será sempre do eleitor e sua inalienável decisão. A escolha se estende agora à atitude de vocês – disse a senadora.

Para Marina, o segundo turno seria um pragmatismo sem limites. Ela disse ainda que já conviveu com os dois candidatos e que são pessoas dignas. Com Dilma, Marina relembrou que teve cinco anos de convivência, quando ambas eram ministras do governo Lula, e disse que a convivência foi boa apesar das divergências. Já com Serra, ela relembrou ocasiões em que convergiram na opinião sobre determinados projetos quando ele também era senador.

Marina admitiu que dos cerca de 20 milhões de votos que teve no primeiro turno, havia uma parte considerável de votos de evangélicos e alfinetou o teor religioso que a campanha do segundo turno recebeu.

– Professei minha fé sem fazer dela uma arma eleitoral.

Agora, a candidata do PV disse que o partido que ser um "veículo mediador de propostas" e que vai cobrar de quem for eleito a execução das promessas de campanha.
Em busca da democracia
Marina Silva enfatizou que a sua posição e a opção do partido não impedem manifestações individuais de integrantes da legenda.

– Se integrantes do partido quiserem demonstrar apoio a um ou outro candidato, não poderão usar o símbolo do partido, mas sim poderão se manifestar como cidadãos.

Briga acirrada

No primeiro turno, a candidata Marina Silva (PV) ficou em terceiro lugar, com 19,6 milhões de votos, quase 20% dos votos válidos. Na disputa pelo apoio da legenda e de Marina, Dilma e Serra enviaram cartas à senadora destacando afinidades entre pontos dos planos de governo. Em entrevista coletiva após o anúncio da posição do PV, Marina Silva respondeu sobre a avaliação do partido.

– Apresentamos um conjunto de propostas em torno de dez pontos. Todos foram parcialmente aceitos pelas candidaturas (de Dilma e Serra), mas, na nossa avaliação, houve acolhimento maior por parte da candidatura do PT e um acolhimento significativo, porém, um pouco menor, por parte do PSDB – justificou.

A posiçao defendida por Marina Silva foi semelhante à de varias lideranças do PV que discursaram na reunião plenária. De acordo com o presidente nacional do PV, José Luiz Penna, dos 80 votantes na plenária, 65 eram delegados do partido e 15, representantes da sociedade. Segundo Penna, dos 80, quatro não votaram pela posição de independência.
Fonte: ZEROHORA.COM, COM INFORMAÇÕES DO G1 E DA AGÊNCIA ESTADO
Share:

0 comentários:

Postar um comentário

.

Vídeos

Loading...

DICA EMPRESARIAL