17 de jan de 2012

Veja dicas de como cuidar de seu animal de estimação no verão.

‘Levar cães à praia é saudável, desde que fiquem no calçadão, nunca na areia’, diz veterinário.




RIO - Quando as temperaturas altas começam a dar a cara do verão, não são só os humanos que sentem os efeitos. Os animais precisam de cuidados especiais para enfrentar os dias mais quentes. Diogo Alves da Conceição, diretor da clínica veterinária Domingues de Sá, diz que, nesta época do ano, os casos de enfermidade mais comuns são de insolação e intermação e dá dicas dos cuidados que os donos precisam ter com os bichos de estimação.

O GLOBO: Alguns donos costumam levar seus animais de estimação para a praia. Isso é recomendável? Quais as possíveis consequências para os banhistas da presença dos animais na areia e na água? E para os cães?

Diogo Alves da Conceição: Levar os cães à praia é muito saudável, desde que fiquem restritos ao calçadão, nunca na areia nem na água. Além disso, devem estar com coleiras e focinheiras para animais de porte médio/grande. Na areia, os animais podem defecar e transmitir algumas doenças aos homens, como verminose. É uma questão de saúde pública e de educação. Para os cães, os problemas são dermatites e principalmente otites, se entrarem no mar.

Qual a diferença entre insolação e intermação?

A insolação é a ação direta dos raios solares sobre o animal. A intermação é ação do calor de origem solar indireta: locais abrigados, como a própria casa sem ventilação adequada ou áreas fechadas expostas ao sol. O segundo caso ocorre principalmente quando animais ficam sozinhos em casa, com o ambiente todo fechado e quente, e quando deixados no carro, mesmo em curto período.

Que animais são os mais afetados?

Animais peludos e idosos são mais sensíveis a essas condições, por terem dificuldades de regulação da temperatura corpórea, e ficam mais ofegantes que o normal. Animais com roupinhas, acessórios ou expostos ao sol e calor durante muito tempo, mesmo na sombra, em horários de pico também podem ser afetados.

Quais são os principais sintomas?

- Falta de ar intensa; eles respiram de boca aberta e com a língua de fora.
- Desmaio/Síncope.
- Temperatura corpórea elevada, superior a 40ºC, podendo ser confundido com febre.
- Vômitos.
- Andar “cambaleante”.
- Desidratação.

Como é possível prevenir o quadro?

- Evitar passear nos horários de pico de calor. Engana-se quem pensa que não podem ocorrer lesões nas patas dos animais. As patinhas também podem ficar queimadas em contato com o chão quente. Sapatos são considerados uma medida protetora que sempre traz beneficios
- Realizar atividades em ambientes ventilados e na sombra, evitando risco de insolação ou intermação.
- Tosar o animal sempre no verão, para facilitar a troca de calor.
- Ofereçer bastante líquido para o animal.
- Na presença dos sintomas, procure seu veterinário, pois o quadro pode se agravar e pode existir o risco de convulsão e até morte.

Quais as doenças mais comuns em animais de estimação nessa época do ano?

Diarreia, alergia, miíase, conjuntivite e otite, principalmente por banhos feitos em domicílio.

Quais as principais recomendações para cuidados com animais de estimação durante o verão?

Passear com os cães pela manhã até 10h e à tarde após 17h. Numa caminhada com o cão, nunca exceder 2 horas.

Condicionadores de ar e ventiladores são recomendados?

Condicionadores de ar e/ou ventiladores podem ser usados com responsabilidade princialmente por determinadas raças
.
Água gelada pode ser oferecida para qualquer animal (cães, gatos, pássaros, roedores)?

Água fresca sempre e de boa qualidade, variando entre 15 a 20 graus celsius para qualquer animal, além de ser trocada quatro vezes por dia.

Qual a frequência ideal para banhos?

Os banhos podem ser semanais, de preferência em pet shops, onde existem profissionais capacitados em secar bem o animal. É na secagem que está o segredo do pêlo no verão.

Essa época é mais propícia a infestação de parasitas (como carrapatos e pulgas)? O que fazer para evitar?

Sim. Os ectoparasitas são mais frequentes durante os dias mais quentes, principalmente em países tropicais. A infestação de pulgas está em 95% no ambiente domiciliar.

Muitas pessoas viajam com seus animais durante as férias. Qual a melhor forma de transportá-los com conforto e quais as recomendações para viagens mais longas, por exemplo, de carro?

As caixas de transporte são as mais recomendadas e são padronizadas. A legislação de trânsito proibe o transporte de cães e gatos soltos, pois há a possibilidade de se causar acidentes. As recomendações para viagens mais longas se resume em não iniciar a viagem com os animais de barriga cheia de alimentos e água. Isso evita náuseas e vômitos.

Fonte: 
oglobo.globo.com
Share:

0 comentários:

Postar um comentário

.

Vídeos

Loading...

DICA EMPRESARIAL