16 de abr de 2010

"Princess of Nebraska" estréia direto na Internet

Bem filmado mas interpretado toscamente, The Princess of Nebraska acompanha a trajetória de uma jovem chinesa chamada Sasha ao longo de alguns dias de estadia em San Francisco. Quando alguém pergunta, Sasha, interpretada por Ling Li, diz está lá porque quer "ver a cidade", e a câmera de Wayne Wang registra o panorama dos bairros com afeto contido. Mas há muito mais que turismo, na história.

Sasha, que passou os meses anteriores à trama como estudante de intercâmbio em Omaha, está grávida, depois de uma transa em Pequim. Foi à Califórnia para decidir o que fazer e para encontrar Boshen (Brian Danforth), um ativista norte-americano que, na China, se apaixonou por Yang, o misterioso estudante de ópera que também é o pai da criança da protagonista.
A história, bem como o passeio noturno de Sasha pelo submundo dos imigrantes de San Francisco, no qual faz amizade com prostitutas e pensa na possibilidade de se tornar uma delas, é tema para um melodrama à moda de Theodore Dreiser.
Wang, cineasta muito flexível, cujos filmes variam de produções independentes a comédias de alto orçamento como Maid in Manhattan, com Jennifer Lopez, prefere o naturalismo seco que se tornou a norma estilística do cinema com consciência social, em todo o mundo. Temas como a globalização e a transformação política estão integrados à sua história, e ocasionalmente surgem em forma de diálogos nada convincentes.
Esses momentos de obviedade são compensados por um senso geral de lirismo bruto, e o resultado parece um desses filmes que se dariam bem em festivais, em algum lugar.
Mas The Princess of Nebraska está em cartaz no YouTube (youtube.com/watch?v=rKgbIz6CM_), (não acessível para o Brasil), desde a noite da última sexta-feira.
Pode parecer que a decisão de não lançá-lo em cinema depõe contra a qualidade do filme. Mas o filme já havia sido assistido mais de 140 mil vezes, até a tarde de domingo, o que representa mais audiência do que atrairia no limitado circuito de arte de Nova York e Los Angeles (e o filme não é pior do que os que se pode ver nessas salas).
É difícil determinar se o número de visitas se equipara ao de pessoas que viram o filme todo, mas algumas das reações podem ser lidas nos comentários dosite, desde críticas bem ponderadas a "ISSO NÃO TEM NADA A VER COM O NEBRASKA".
O lançamento do filme de um cineasta conhecido pelo YouTube é um truque de marketing ou sinal do futuro? Um pouco de ambos, provavelmente.
Não se sabe como um filme distribuído de graça na Internet cobriria seu investimento, mas a experiência não é ruim para o espectador. Wang filmou em planos largos, e se o filme for assistido em tela cheia e em vídeo de alta qualidade, é possível apreciar as qualidades visuais do trabalho, enfatizadas pela incorporação de imagens capturadas pela câmera do celular de Sasha.
Mesmo com um monitor grande e boas caixas de som ou fones, não será a mesma coisa que ir ao cinema, mas o filme pode se beneficiar disso, porque menos gente o assistiria se tivesse de pagar ingresso.
Ficha Técnica
The Princess of Nebraska
Em cartaz no YouTube.com
Dirigido por Wayne Wang; roteiro (em inglês e mandarim) de Michael Ray, baseado no conto de Yiyun Li; direção de câmera e co-direção de Richard Wong; edição de Deirdre Slevin; produção de Yukie Kito e Donald Young; produção executiva de Yasushi Kontani, Taizo Son e Stephen Gong.
Duração: 77 minutos Com: Ling Li (Sasha), Pamelyn Chee (X), Brian Danforth (Boshen) e Patrice Lukulu Binaisa (James). O filme não tem classificação de censura.
The New York Times
Share:

0 comentários:

Postar um comentário

.

Vídeos

Loading...

DICA EMPRESARIAL