22 de out de 2010

Órgão de proteção aos animais é acusado de invasão a domicílio em Florianópolis Casal que teve casa invadida após denúncias de maus tratos considera ação abuso de poder

Roberta Kremer | roberta.kremer@diario.com.br


A entrada da Coordenadoria de Bem Estar Animal em uma casa para resgatar três cachorros por denúncias de maus tratos pôs em questão até onde vai o limite do órgão na defesa dos bichos de Florianópolis. Ao tentar reaver os cães da raça Shitzu, no Centro de Controle de Zoonose na manhã desta segunda-feira, o casal considerou a ação abuso de poder e invasão a domicílio.

Na sexta-feira, por volta das 13h30min, Samantha e Everton Rocha tinham acabado de sair de casa, no Campeche, para ir à Brusque, quando funcionários da Coordenadoria de Bem Estar Animal entraram na casa, com a ajuda de uma escada, pelo apartamento ao lado. O pai de Everton viu os servidores e ligou para contar a situação ao filho.

— Duas pessoas do apartamento ao lado não gostam do latido dos cachorros e inventaram tudo isso para afastar nossos animais — lamentou Everton. O casal registrou boletim de ocorrência no sábado por invasão a domicílio.

Segundo a coordenadora do órgão, Maria da Graça Dutra, uma veterinária teria denunciado o casal por maus tratos na última quinta-feira e a equipe da coordenadoria foi até o local verificar a situação e confirmou a reclamação.

—Os animais estavam sem comida e sem água em um local úmido e sujo.

Samantha se defende alegando que dá alimento aos bichos uma vez por dia, por recomendação de seu veterinário, e que a casa está em obra, mas que os cães eram bem cuidados.

O promotor de Justiça da área de Meio Ambiente, Rui Richter, afirmou que a Constituição concede às autoridades poder de entrar nos locais privados quando há um flagrante de maus tratos animais.

— Em tese, não é impossível a entrada, mas é preciso provar que existem indícios do crime. Quando o assunto chegar à Justiça, será investigado se ocorreram abusos— explica.

Castração

Na manhã de segunda-feira, o casal esteve na Coordenadoria para tentar reaver os animais, mas não conseguiram e ainda receberam a informação que seus cães serão castrados. Mesmo informando que a fêmea poderia estar grávida, Samantha recebeu como resposta de uma funcionária que a cadela seria castrada do mesmo jeito. Em seguida, a coordenadora afirmou que esperaria o nascimento dos possíveis filhotes para fazer o procedimento.



Fonte: Diario.com.br
Share:

0 comentários:

Postar um comentário

.

Vídeos

Loading...

DICA EMPRESARIAL